GRI lança suplemento com diretrizes para empresas do setor de alimentos elaborarem relatorios de sustentabilidade

Bunge Brasil, representante brasileira na elaboração do documento, traz ao país a versão em português das diretrizes para relatar sustentabilidade na produção de alimentos.

São Paulo, 21 de novembro de 2011 - A GRI (Global Reporting Initiative) lançou a edição em português do documento que vai auxiliar empresas do setor de alimentos a prepararem seus relatórios de sustentabilidade. O material orienta as companhias a utilizar indicadores e a metodologia da GRI, de acordo com padrões aceitos e referenciados mundialmente.
 

Os relatórios de sustentabilidade são utilizados pelas empresas como forma de facilitar a gestão dos assuntos relevantes ao tema, seja em governança, em projetos e programas que impactam em suas operações. Geralmente são apresentados nesses documentos os avanços e realizações das companhias ligados ao meio ambiente, responsabilidade social e de relacionamento com a sociedade. O modelo da GRI aborda as questões de maneira prática e abrangente, trazendo indicadores e comentários para que esses temas possam ser adequadamente retratados, reforçando o impacto na gestão dos negócios. "As companhias estão entendendo a importância da produção de relatórios de sustentabilidade, com padrões definidos mundialmente, como ferramenta de gestão", opina Michel Santos, gerente de Sustentabilidade da Bunge Brasil.
 

O documento, que teve a Bunge Brasil como única empresa brasileira a participar de sua elaboração, traz os principais desafios e questões de sustentabilidade que a indústria de alimentos enfrenta. Entre os principais pontos que devem ser verificados pelas empresas estão a disponibilização de alimentos seguros, saudáveis e com preço acessível, o impacto das mudanças climáticas e riscos apresentados ao setor, a vulnerabilidade e capacidade de pequenos produtores nas cadeias de suprimentos de alimentos e o uso de embalagens e o impacto a elas associado no meio ambiente e na saúde.
 

Entre os pontos mais importantes, e preocupantes, do assunto estão a complexidade das cadeias de suprimentos globais e os impactos da exaustão e dependências dos recursos naturais. Para o CEO do GRI, Ernst Ligteringen, é importante a adesão das empresas do setor de alimentos ao sistema de relatórios GRI. "Recentemente o planeta passou a ter sete bilhões de habitantes, e cada vez mais devemos nos preocupar em como alimentar e cuidar desta população, sem degradar mais o meio ambiente em todo o mundo", analisa.
 

O suplemento das Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade da GRI já está disponível para as empresas brasileiras que tiverem interesse em produzir seus relatórios. Atualmente cerca de 150 companhias do País reportam segundo o padrão internacional da GRI, o que torna o Brasil o terceiro país com maior número de relatórios nesse padrão. A Bunge foi a patrocinadora da versão em português do suplemento, a fim de aumentar a adesão das empresas brasileiras do segmento. "Produzir alimentos de forma sustentável é a missão das empresas do setor. E reportarmos como temos feito isso, ao mundo, é a melhor maneira de mostrarmos que estamos no caminho certo", conclui Michel.
 

Os indicadores de sustentabilidade para o setor de Alimentos podem ser acessados em www.globalreporting.org, escolhendo-se a página em português.

 




DataNotícia
02/12/2019 BP e Bunge concluem a formação da joint venture BP Bunge Bioenergia no Brasil
27/11/2019 Verão de Soya tem novas maioneses e brinde exclusivo da marca
21/10/2019 Gradina tem participação especial no Mesa São Paulo 2019 e Chefs da Academia Bunge apresentam tendências da confeitaria e panificação
16/10/2019 Soya lança sua nova linha de maioneses e apresenta novo posicionamento
27/09/2019 Salada, a 1ª marca de óleo vegetal do Brasil, comemora 90 anos com novas embalagens
Veja mais notícias...