Bunge Brasil apresenta seus resultados em sustentabilidade

Uso de fontes renováveis de energia, redução de emissões, economia de recursos naturais, relacionamento com mais de 17 mil produtores rurais e investimentos de mais de R$ 38 milhões em ações de proteção e gestão ambientais fazem parte do balanço

São Paulo, 05 de setembro de 2014 – A Bunge Brasil, uma das maiores empresas de agronegócio e alimentos do país, empregou os mais avançados indicadores de sustentabilidade para mostrar seu desempenho ano base 2013. Trata-se do relatório ‘Caminhos para Sustentabilidade’, onde todos os negócios da empresa foram contemplados, bem como governança, estratégias, diretrizes e gestão do ciclo produtivo do campo à mesa, além dos compromissos pós-consumo. Entre os destaques estão os investimentos de mais de R$ 38 milhões em ações de proteção e gestão ambientais e de R$ 5,3 milhões em ações sociais diretas.

Outro importante resultado é o relacionamento da empresa com 17 mil produtores rurais, que passam por quesitos de sustentabilidade para que os impactos relacionados à produção agrícola sejam sempre avaliados. Vale ressaltar que aproximadamente três mil produtores têm origem na agricultura familiar e integram a cadeia de valor da Bunge, por meio de ações que promovem a inclusão social. “Nosso objetivo é estabelecer relacionamentos próximos, transparentes e duradouros com os produtores rurais para que eles sejam responsáveis, não só do ponto de vista ambiental, mas também social e trabalhista”, explica Martus Tavares, vice-presidente de Assuntos Corporativos da Bunge Brasil.

Faz parte da política de sustentabilidade da companhia, o bloqueio comercial de produtores que não cumpram com compromissos ambientais ou sociais assumidos voluntariamente por ela, como desmatamento e questões trabalhistas. Em 2013, o número de produtores bloqueados caiu 70%, o que comprova que as iniciativas da empresa estão despertando a maior sensibilização e responsabilidade junto aos produtores rurais.

No campo energético, além de aumentar a eficiência, reduzindo o consumo geral, a empresa manteve resultados expressivos: 90% de sua matriz energética são compostos por fontes renováveis. Para energia elétrica, 74% do que é consumido em seus processos industriais é produzido internamente por oito usinas de cana-de-açúcar que geraram 702GWh. Isso representa um aumento de 17,5% na cogeração, em comparação com o ano 2012. No período, a Bunge ainda conseguiu reduzir 4% de suas emissões de gases de efeito estufa, para cada tonelada de produção.

Garantir a destinação sustentável de resíduos sólidos é outro compromisso da empresa em todas as suas atividades. Entre 2012 e 2013, houve uma melhoria na destinação sustentável, atingindo 85% dos resíduos industriais (reuso, reciclagem, uso como matriz energética ou matéria-prima para outros segmentos), além de redução do consumo de matérias-primas em função do aprimoramento de controles operacionais. O Programa Soya Recicla é um exemplo de projeto com resultados significativos. Com mais de 1.700 pontos de coleta, houve um aumento de 41% do volume de óleo de cozinha pós-consumo destinado à reciclagem (sabão e biocombustível), totalizando cerca de 530 toneladas coletadas de óleo de cozinha usado, além de 6 toneladas de embalagens pós-consumo. Em 2014, diferentes frentes do programa Soya Recicla já atingem diretamente cinco estados brasileiros (Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro, Bahia e Ceará).

Metodologia Inovadora

Para a elaboração do Relatório de Sustentabilidade deste ano, a Bunge empregou a versão G4 GRI, lançada em Amsterdam, em 2013, em sua aplicação “Abrangente” que reúne as mais recentes diretrizes da Global Reporting Initiative (GRI) – uma metodologia reconhecida internacionalmente para demonstrar a evolução da gestão em sustentabilidade das empresas nos aspectos econômico, social e ambiental. Entre 2008 e 2012, a Bunge recebeu o grau máximo (A+) da versão anterior da GRI. O documento completo está disponível no site:

www.bunge.com.br/sustentabilidade/2014

Sobre a Bunge

Presente no Brasil desde 1905, a Bunge é uma das principais empresas de agronegócio e alimentos do Brasil e uma das maiores exportadoras. Atua de forma integrada, do campo à mesa do consumidor. Desde a compra e processamento de grãos (soja, trigo e milho), produção de alimentos (óleos, margarinas, maioneses, azeite, arroz, farinhas de trigo, molhos e atomatados), serviços portuários até a produção de açúcar e bioenergia. Eleita empresa mais sustentável do agronegócio pelo Guia Exame de Sustentabilidade, a Bunge conta com cerca de 20 mil colaboradores, atuando em mais de 100 instalações, entre fábricas, usinas, moinhos, portos, centros de distribuição e silos, em 17 estados e no Distrito Federal. Marcas como Delícia, Salada, Soya, Salsaretti, Primor, Cardeal, All Day e Bunge Pro estão profundamente ligadas não apenas à história econômica brasileira, mas também aos costumes, à pesquisa científica, ao pioneirismo tecnológico e à formação de gerações de profissionais.

 

Informações e imagens para a imprensa:
Atendimento:

Aline Brandi

aline.brandi@inpresspni.com.br

(11) 3323 1519

Priscilla Martinelli

priscilla.martinelli@inpresspni.com.br 
(11) 3323 1548

Coordenação:
Célia Nogueira

celia.nogueira@inpresspni.com.br 
(11) 3323 1601

Direção:
Silvia Szarf

silvia.szarf@inpresspni.com.br
(11) 3323 1535




DataNotícia
02/12/2019 BP e Bunge concluem a formação da joint venture BP Bunge Bioenergia no Brasil
27/11/2019 Verão de Soya tem novas maioneses e brinde exclusivo da marca
21/10/2019 Gradina tem participação especial no Mesa São Paulo 2019 e Chefs da Academia Bunge apresentam tendências da confeitaria e panificação
16/10/2019 Soya lança sua nova linha de maioneses e apresenta novo posicionamento
27/09/2019 Salada, a 1ª marca de óleo vegetal do Brasil, comemora 90 anos com novas embalagens
Veja mais notícias...