Bunge apresenta avanços no relatório de sustentabilidade 2015

A empresa já produz 100% da eletricidade equivalente ao seu consumo anual, usa 94% de fontes renováveis de energia, reduz o número de agricultores bloqueados por irregularidades socioambientais e a coleta de óleo de cozinha usado atinge 665 toneladas em 34 municípios
 

São Paulo, 3 de junho de 2015A Bunge Brasil, uma das maiores empresas de agronegócio e alimentos do país, aumentou em 38% a cogeração de energia elétrica, proveniente de biomassa, comparada ao ano anterior. Com essa evolução, a companhia gerou, a partir do bagaço da cana-de-açúcar, 968 GWh, atingindo o equivalente a 100% da produção de energia elétrica consumida em seus processos industriais por oito usinas de cana-de-açúcar.

Para se ter uma ideia, essa quantidade de energia é capaz de abastecer 480 mil residências no período de um ano, considerando-se a média do consumo residencial no país. Esse foi um dos desempenhos da empresa em 2014, que acaba de publicar a 12ª edição do Relatório de Sustentabilidade. A empresa investiu mais de R$ 32 milhões em ações de gestão e proteção ambientais em suas três áreas de negócios.

Tendo como um de seus compromissos o descarte consciente em todas as suas atividades, a Bunge possui projetos já consolidados, como o Soya Recicla, programa de reciclagem de óleo de cozinha usado, que vem alcançando cada vez mais resultado e força no país. Presente em cinco estados com atividades de reciclagem e com quase dois mil pontos de coleta para óleo usado, o programa aumentou em 26% o volume de óleo de cozinha pós-consumo destinado à reciclagem (sabão e biocombustível), totalizando cerca de 665 toneladas de óleo coletadas, além de quase 12 toneladas de embalagens PET. Cooperativas de catadores dos estados do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Bahia também foram beneficiadas pelo Soya Recicla. O programa está presente ainda nos estados de São Paulo e Ceará.

Outro ponto relevante do relatório é o bloqueio comercial de produtores que não cumprem com compromissos ambientais ou sociais, como as questões trabalhistas, por exemplo. Ao final de 2014, 310 produtores estavam bloqueados, um número 35% inferior comparado a 2013 e equivalente a apenas 1,5% dos produtores que relacionam-se com a empresa por ano. “Esse dado mostra que as nossas iniciativas estão despertando maior responsabilidade junto aos produtores rurais”, afirma Michel Santos, líder de Sustentabilidade da Bunge Brasil. São destaques, também, a redução de 38% no consumo da água para a produção de Alimentos & Ingredientes, além da matriz energética baseada em biomassa. “As emissões que evitamos equivaleriam a 240 mil veículos à gasolina em uma cidade, anualmente,” completa Michel.

Seguindo as tendências de sustentabilidade, o relatório de 2015 está disponível apenas na versão online. “Durante o ano de 2014, as versões dos relatórios de sustentabilidade da Bunge, hospedados na plataforma web, tiveram 65 mil visitantes. Foram visitas provenientes de 60 países diferentes, o que nos impulsionou a adotar definitivamente o modelo online”, explica o executivo.

Metodologia completa

Pelo segundo ano, o Relatório de Sustentabilidade da Bunge foi elaborado no formato mais completo da nova geração de indicadores GRI (Global Reporting Initiative), o ‘Abrangente’ da versão G4. Uma metodologia reconhecida internacionalmente para demonstrar a evolução da gestão em sustentabilidade das empresas nos aspectos econômico, social e ambiental.
O documento completo está disponível no site: www.bunge.com.br/sustentabilidade/2015.

Sobre a Bunge

Presente no Brasil há 110 anos, a Bunge é uma das principais empresas de agronegócio e alimentos do Brasil e uma das maiores exportadoras. Atua de forma integrada, do campo à mesa do consumidor. Desde a compra e processamento de grãos (soja, trigo e milho), produção de alimentos (óleos, margarinas, maioneses, azeite, arroz, farinhas de trigo, molhos e atomatados), serviços portuários até a produção de açúcar e bioenergia. Eleita empresa mais sustentável do agronegócio pelo Guia Exame de Sustentabilidade, a Bunge conta com cerca de 20 mil colaboradores, atuando em mais de 100 instalações, entre fábricas, usinas, moinhos, portos, centros de distribuição e silos, em 17 estados e no Distrito Federal. Marcas como Delícia, Salada, Soya, Salsaretti, Primor, Cardeal e Bunge Pro estão profundamente ligadas não apenas à história econômica brasileira, mas também aos costumes, à pesquisa científica, ao pioneirismo tecnológico e à formação de gerações de profissionais.

Informações para a imprensa:

In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação
Atendimento:

Aline Brandi

aline.brandi@inpresspni.com.br
(11) 3323 1519

Janaina Gomes
janaina.gomes@inpresspni.com.br
(11) 3323 3779

KarineAvancini
karine.avancini@inpresspni.com.br

(11) 3330 3840

Coordenação:

Camila Francis

camila.francis@inpresspni.com.br
(11) 3323 1533

 




DataNotícia
02/12/2019 BP e Bunge concluem a formação da joint venture BP Bunge Bioenergia no Brasil
27/11/2019 Verão de Soya tem novas maioneses e brinde exclusivo da marca
21/10/2019 Gradina tem participação especial no Mesa São Paulo 2019 e Chefs da Academia Bunge apresentam tendências da confeitaria e panificação
16/10/2019 Soya lança sua nova linha de maioneses e apresenta novo posicionamento
27/09/2019 Salada, a 1ª marca de óleo vegetal do Brasil, comemora 90 anos com novas embalagens
Veja mais notícias...