Share |

Evolução constante

Empresa muda estrutura organizacional e amplia a integração e a cooperação entre suas unidades de negócio no Brasil

Faturamento / Exportações

Inovação e gestão compartilhada são elementos-chave para qualquer empresa alcançar o sucesso na busca pela sustentabilidade. Para a Bunge, inovar não significa apenas lançar novos produtos e serviços. É também refletir sobre suas operações e, quando necessário, modificar a organização dos negócios para garantir o crescimento sustentado e a perenidade da companhia.

Em 2009, enquanto se preparava para inaugurar novas unidades industriais e expandir as já existentes, o grupo deu início a um processo de identificação das sinergias entre a Bunge Alimentos e a Bunge Fertilizantes, com o objetivo de aperfeiçoar suas práticas e sua gestão. Nesse contexto, um dos fatos mais importantes foi a escolha do ex-ministro Pedro Parente como presidente e CEO da Bunge no Brasil, reportando-se diretamente a Alberto Weisser, chairman e CEO da Bunge Limited.

A nomeação de Parente visa, sobretudo, ampliar a integração e a cooperação entre as empresas Bunge no País. A expectativa, em curto prazo, é de que essa mudança tenha reflexos no aumento da eficiência na gestão dos negócios, na utilização dos recursos ambientais e no investimento social. A nova estrutura da organização passa a contar com cinco unidades de negócio, descritas a seguir, e quatro áreas de suporte.

Presente no Brasil desde 1905, a Bunge é a maior empresa de agronegócio do País, segundo levantamento do Anuário Exame do Agronegócio. A Bunge conta, em 2010, com mais de 17 mil colaboradores diretos (considerando-se a expansão do negócio Açúcar & Bioenergia) e teve faturamento de R$ 27,2 bilhões ao término de 2009. Os produtos da Bunge são comercializados em todo o Brasil e exportados para mais de 30 países da Europa, Ásia, Américas do Sul e do Norte e África. Em 2009, as exportações do grupo atingiram R$ 9,2 bilhões.