Fontes renováveis na matriz energética

Por ter como meta a redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE), a Bunge Brasil investe na redução do consumo de energia de suas unidades industriais, bem como na adoção de uma matriz energética renovável. Em 2015, mantivemos 94% da nossa matriz energética composta de fontes renováveis.

O consumo de energia está diretamente relacionado às mudanças climáticas, ao esgotamento de recursos naturais (combustíveis fósseis) e à poluição do ar. Dessa forma, a gestão do consumo de energia é vista como essencial dentro das nossas operações.

O consumo de energia direta é observado, principalmente, nos seguintes processos:

  • Caldeiras (vapor e eletricidade)
  • Plantio, colheita e transporte de cana-de-açúcar para as usinas
  • Geradores de energia elétrica.

Cada planta industrial gerencia seu desempenho para atingir essas metas, focando principalmente:

  • Redução do consumo de energia direta dos processos
  • Fomento e uso de energia renovável
  • Otimização do uso dos equipamentos/máquinas que consomem energia elétrica, além da execução de sua manutenção preventiva.

Em 2015, as fontes renováveis representaram 94% da nossa matriz energética.

Em 2015, a área de Açúcar & Bioenergia exportou ao Sistema Interligado Nacional (SIN) 570.043 MWh, 8,03% a mais que no ano de 2014. O montante é suficiente para abastecer as necessidades domésticas de aproximadamente 300 mil residências em um ano, sendo que a bioeletricidade de cana contribui para a redução das emissões de GEE por substituir outras fontes de origem fóssil, além de ser uma alternativa sustentável para aumentar a produção de energia utilizada em atividades produtivas da economia nacional.

Em 2014, a empresa assumiu também o compromisso de reduzir o consumo de energia por tonelada produzida, em adição ao objetivo de redução na emissão de CO2. A meta é reduzir o consumo de energia em 3%, no período de 2013 a 2016.

Em relação a 2014, houve redução de 4,76% no consumo de energia indireta utilizada no processo produtivo, passando de 0,063 para 0,060 GJ/t produzida. As diminuições foram possíveis graças à adoção contínua de iniciativas de melhoria na eficiência operacional nas unidades da companhia. A redução registrada no consumo de energia direta se deve, principalmente, à melhoria da eficiência do processo de queima do bagaço e geração de energia elétrica nas usinas de Açúcar & Bioenergia.

G4-EN6

A Bunge produz 100% da energia que consome em seus processos industriais. Isso porque nossas usinas de Açúcar & Bioenergia estão equipadas para a produção de energia limpa e renovável a partir da queima do bagaço da cana-de-açúcar. Em 2015, com capacidade instalada de 317 MW, as oito usinas geraram 985 GWh (1,8% mais que em 2014), o que supriu 100% do volume demandado pelas atividades produtivas da própria empresa no período. De nossas oito usinas, seis estão aptas, ainda, a exportar energia renovável para o Sistema Interligado Nacional (SIN). O volume exportado no ano passado correspondeu a 58% da energia produzida pela Bunge no período – 7,8% mais que no ano anterior. Nos últimos três anos, houve gradativo incremento da capacidade de geração das usinas de Pedro Afonso e Moema. 

Unidade do Jaguaré investe na redução do consumo de energia

Situada no bairro do Jaguaré, na cidade de São Paulo, a unidade de mesmo nome, de Alimentos & Ingredientes, passou por uma completa renovação de seu sistema de refrigeração industrial, responsável pelo processo de cristalização de margarina e gorduras, além do resfriamento de câmaras de estocagem de produtos.

O antigo sistema, 100% manual, operava há mais de 40 anos com 12 unidades compressoras. Possuía tecnologia obsoleta, de baixa eficiência energética.

O novo sistema, implantado em 2015, conta agora com apenas quatro unidades compressoras e opera de forma 100% automática. O funcionamento do sistema é modulado, ou seja, os compressores atendem exatamente à demanda momentânea no processo produtivo, o que os torna extremamente eficientes do ponto de vista energético, gerando uma economia prevista no consumo de energia elétrica de mais de 2.300 MWh/ano. O sistema de condensadores também foi substituído por equipamentos mais modernos e com alta eficiência no consumo de água, com previsão para redução de mais de 10.000 m³/ano de água.

Outro ganho importante do novo sistema está na segurança de sua operação: com um inventário de amônia 40% menor e um sistema totalmente automatizado, os riscos de vazamentos, de exposição dos colaboradores e da comunidade do entorno foi significativamente reduzido.

 

BALANÇO ENERGÉTICO DAS USINAS DE AÇÚCAR & BIOENERGIA

G4-EN3

 

2013

2014

2015

Capacidade instalada (MW)

314

317

317

Geração (MWh)

702.004

967.634

985.164

Exportação ao SIN (MWh)

322.734

527.658

570.043

Consumo

379.270

439.976

422.247

 

ENERGIA ELÉTRICA GERADA (MWH) / BAGAÇO QUEIMADO (GJ)

2013

2014

2015

0,020*

0,023*

0,029

* Valores corrigidos devido a ajustes na metodologia de cálculo

 

CONSUMO INTERNO DE ENERGIA DIRETA, POR TIPO DE COMBUSTÍVEL

(EM GJ) G4-EN3

Açúcar & bioenergia

 

2013

2014

2015

Óleo diesel

2.481.417

2.378.415

2.380.759

Gás liquefeito de petróleo

-

-

4.357

Madeira ou resíduo de madeira

-

13.584

564.460

Outros combustíveis sólidos primários de biomassa

-

130.094

-

Bagaço de cana

34.813.018

40.561.161

34.138.317

Etanol

95.157

63.675

75.914

Total

37.389.591

43.146.929

37.163.806

GJ energia/t produzida GRI G4-EN5

1,96

2,20

1,83

Variação % (2015-2014)

-16,8%

% energia não renovável

7%

6%

6%

% energia renovável

93%

94%

94%

Agronegócio

 

2013

2014

2015

Óleo diesel

94.753

73.860

74.621

Gás liquefeito de petróleo

-

56

0

Madeira ou resíduo de madeira

6.180.737

6.100.678

6.026.133

Outros combustíveis sólidos primários de biomassa

2.198.125

2.581.333

2.617.136

Bagaço de cana

41.524

40.139

55.732

Total

8.515.139

8.796.066

8.733.117

GJ energia/t produzida G4-EN5

1,05

1,07

1,02

Variação % (2015-2014)

-4,67%

% energia não renovável

1%

1%

1%

% energia renovável

99%

99%

99%

Alimentos & Ingredientes

 

2013

2014

2015

Gás natural líquido

585.699

510.657

589.753

Óleo de xisto

3.430

4.351

1120

Óleo diesel

769

1.620

788

Gás liquefeito de petróleo

83.141

89.359

86.493

Madeira ou resíduo de madeira

478.492

471.037

307.089

Total

1.151.530

1.077.024

985.243

GJ energia/t produzida G4-EN5

0,5

0,51

0,52

Variação % (2015-2014)

1,88%

% energia não renovável

58%

56%

69%

% energia renovável

42%

44%

31%

Bunge Brasil

 

2013

2014

2015

Gás natural líquido

585.699

510.657

589.753

Óleo de xisto

3.430

4.351

1120

Óleo diesel

2.576.938

2.453.895

2.456.167

Gás liquefeito de petróleo

83.141

89.415

90.850

Madeira ou resíduo de madeira

6.659.229

6.585.299

6.897.681

Outros combustíveis sólidos primários de biomassa

2.198.125

2.711.427

2.617.136

Bagaço de cana

34.854.541

40.601.300

34.194.049

Etanol

95.157

63.675

75.914

Total

47.056.261

53.020.020

46.922.670

GJ energia/t produzida

1,6

1,77

1,53

Variação % (2015-2014)

-13,56%

% energia não renovável

7%

6%

6%

% energia renovável

93%

94%

94%

 

CONSUMO INTERNO DE ENERGIA ELÉTRICA (SIN)

(em GJ) G4-EN3

Açúcar & Bioenergia

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

27.787,32

25.401,25

25.656,12

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,0015

0,0013

0,0013

Variação % (2015-2014)

0%

Agronegócio

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

1.325.341,13

1.210.604,56

1.127.658,85

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,1639

0,1470

0,1315

Variação % (2015-2014)

-10,5%

Alimentos & Ingredientes

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

692.801,89

667.156,67

691.116,73

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,3023

0,3133

0,3614

Variação % (2015-2014)

15,3%

Bunge Brasil

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

2.045.930,34

1.903.162,48

1.844.431,70

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,070

0,063

0,060

Variação % (2015-2014)

-4,76%

 

CONSUMO INTERNO DE ENERGIA ELÉTRICA (SIN)

(em GJ) G4-EN3

Açúcar & Bioenergia

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

27.787,32

25.401,25

25.656,12

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,0015

0,0013

0,0013

Variação % (2015-2014)

0%

Agronegócio

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

1.325.341,13

1.210.604,56

1.127.658,85

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,1639

0,1470

0,1315

Variação % (2015-2014)

-10,5%

Alimentos & Ingredientes

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

692.801,89

667.156,67

691.116,73

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,3023

0,3133

0,3614

Variação % (2015-2014)

15,3%

Bunge Brasil

 

2013

2014

2015

Energia elétrica (SIN)

2.045.930,34

1.903.162,48

1.844.431,70

GJ energia elétrica (SIN)/t produzida G4-EN5

0,070

0,063

0,060

Variação % (2015-2014)

-4,76%


Emissões caem 7,87%

Em 2015, a taxa de emissões totais da Bunge Brasil registrou redução de 7,87% em relação a 2014. Essa redução está associada à diminuição do volume de bagaço de cana utilizado como combustível em nossas caldeiras. Apesar da diminuição da queima, a quantidade de energia elétrica gerada foi maior que em 2014, o que demostra maior eficiência na queima do bagaço. 

G4-EN19

EMISSÕES DIRETAS E INDIRETAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA (ESCOPOS 1 E 2)

GRI G4-EN15  GRI G4-EN16

Açúcar & Bioenergia

 

2013

2014

2015

Escopo 1 – diretas (tCO2e)

247.970

246.511

231.650

Escopo 2 – indiretas (tCO2e)

741

956

886

Total

248.711

247.466

232.537

kg CO2e/t produzida G4-EN18

13,1

12,6

11,5

Variação % (2015-2014)

-8,73%

Emissões Biogênicas (tCO2e)

3.403.442

3.977.697

3.423.561

Agronegócio

 

2013

2014

2015

Escopo 1 – diretas (tCO2e)

27.767

26.783

27.188

Escopo 2 – indiretas (tCO2e)

35.355

45.560

38.979

Total

63.122

72.344

66.167

kg CO2e/t produzida GRI G4-EN18

7,8

8,8

7,7

Variação % (2015-2014)

-12,5%

Emissões Biogênicas (tCO2e)

1.136.811

1.163.139

1.157.334

Alimentos & Ingredientes

 

2013

2014

2015

Escopo 1 – diretas (tCO2e)

38.332

34.797

37.591

Escopo 2 – indiretas (tCO2e)

18.481

25.108

23.889

Total

56.813

59.905

61.480

kg CO2e/t produzida GRI G4-EN18

24,8

28,1

32,15

Variação % (2015-2014)

14,41 %

Emissões Biogênicas (tCO2e)

70.656

69.559

45.346

Bunge Brasil

 

2013

2014

2015

Escopo 1 – diretas (tCO2e)

314.069

308.091

296.429

Escopo 2 – indiretas (tCO2e)

54.577

71.624

63.751

Total

368.646

379.715

360.180

kg CO2e/t produzida G4-EN18

12,5

12,7

11,7

Variação % (2015-2014)

-7,87%

Emissões Biogênicas (tCO2e)

4.610.909

5.210.395

4.626.241

 

 

Consumo interno de energia elétrica
(GJ/tonelada produzida)

G4-EN3  G4-EN5

Obs.: o cálculo de intensidade energética considera o volume de produção em toneladas. Os tipos de energia incluídos na taxa são combustível e eletricidade, consumidos dentro da empresa.

TOPO