Direitos Humanos

Respeitando e promovendo normas universais nas nossas operações e cadeias de suprimentos

Embora a Bunge não seja proprietária de fazendas ou plantações, reconhecemos a possibilidade de impactos negativos sobre os direitos humanos em nossa cadeia de suprimentos e levamos muito a sério nossa responsabilidade de respeitar esses direitos. Como uma empresa global, acreditamos que podemos desempenhar um papel positivo na promoção do bem-estar de nossos funcionários, clientes, pessoas que trabalham em nossas cadeias e nas comunidades nas quais operamos.

 

Avançando nossa estratégia de Direitos Humanos

Em 2021, após a mudança para o nosso modelo operacional de Uma Única Bunge, reafirmamos nosso compromisso com o avanço de nossa estratégia de direitos humanos concluindo uma varredura global em nossas operações. Esse foi um primeiro passo crucial para entender melhor nosso cenário atual e identificar áreas em que novas análises, políticas ou intervenções adicionais seriam valiosas, incluindo, mas não se limitando a, trabalho infantil, escravidão moderna e trabalho forçado e direitos à terra.

Também criamos uma nova área global de direitos humanos, integrada ao time de sustentabilidade e dedicada a intensificar a nossa estratégia para incorporar globalmente o respeito pelos direitos humanos nas nossas operações e cadeias de suprimentos. Em 2022, a nossa equipe global de direitos humanos estabeleceu uma parceria com a BSR (uma consultoria e rede de negócios sustentáveis) para ampliar nossa atuação no tema, incluindo o desenvolvimento e a implementação de novas políticas e procedimentos, melhorando a compreensão dos nossos principais riscos e aprofundando o trabalho em ferramentas de avaliação de impacto e programas de diligência prévia.

 

Leaves

2023

Data da nova Política de Direitos Humanos da Bunge

Política de Direitos Humanos

A nossa política foi desenvolvida de forma consultiva e inclui o feedback recebido do diálogo com os stakeholders internos e externos. Em nossa política está claro o nosso compromisso de respeitar os direitos humanos de acordo com os Princípios Orientadores das Nações Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos, as Diretrizes da OCDE para Empresas Multinacionais, a Carta Internacional dos Direitos Humanos e a Declaração da OIT sobre Princípios e Direitos Fundamentais no Trabalho. Além disso, a nossa Política de Direitos Humanos é norteadora e substitui a nossa Política Global de Trabalho.

Código de Conduta

A possibilidade de violações de direitos humanos em nossa cadeia produtiva é levada muito a sério. A Bunge espera que toda a sua cadeia de suprimentos e parceiros de negócios sigam os princípios de nosso Código de Conduta, incluindo o compromisso de defender os direitos humanos, tratar seus funcionários com dignidade e respeito e cumprir as leis trabalhistas aplicáveis.